Tipos de parto: o que faz parte da cobertura do plano de saúde?

Tipos de parto: o que faz parte da cobertura do plano de saúde?

A gravidez é um momento incrível na vida de muitas mulheres e capaz de mudar o rumo da vida dos pais. Toda a gestação é um processo longo e que deve ser monitorado com cuidado para garantir a saúde do bebê.

Por isso, na hora de escolher o tipo de parto, algumas dúvidas surgem sobre as opções e diferenças entre elas e se o plano de saúde cobre.

Inclusive, caso necessário é possível até mesmo realizar uma cotação online do plano de saúde.

Continue lendo e tire suas dúvidas!

Tipos de parto inclusos nos planos de saúde

Recentemente, movimentos sociais a favor do parto normal estão crescendo cada vez mais e lutando por partos mais humanizados para o bem da mulher e do bebê.

Além do parto normal existe o parto por cesariana que é uma cirurgia mais invasiva e que deve ser realizada em casos extremos.

Atualmente esses são os dois tipos de parto cobertos pelos planos de saúde, saiba mais sobre eles!

Parto Normal

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), o mais indicado para as gestantes é realizar o parto normal, pois o procedimento é menos invasivo para a mulher e é de fácil recuperação.

As principais características do parto normal são:

  • A saída do bebê é feita pela vagina, normalmente com anestesia e se necessário, medicamentos para acelerar as contrações;
  • Pode durar entre 12 a 14 horas;
  • Logo após o parto, o corpo da mulher já está preparado para a amamentação;
  • Menos chances de surgir infecções e hematomas no bebê ou na mãe.

Apesar de ser o mais adequado para as mulheres, a preparação para esse parto requer treinamento de técnicas de respiração, alimentação adequada e outros exercícios para suportar todo o processo.

Parto Cesariana

O parto tipo cesárea é o mais realizado no Brasil e o mais escolhido nos planos de saúde particulares, pois algumas mulheres temem a dor intensa do parto normal.

As características da cesariana são:

  • O parto é feito com um corte no ventre e útero da mãe, em que o feto é extraído;
  • Recomendada apenas em caso de risco materno ou fetal;
  • É uma cirurgia de corte profundo em tecidos;
  • A cirurgia dura cerca de 1 hora;
  • A recuperação é longa e complexa. A mulher fica internada por cerca de 2 a 4 dias após o parto. O organismo precisa de 6 meses para se recuperar por completo;
  • Sem dores para a mulher pois há anestesia completa.

O principal problema desse tipo de parto é que ele é escolhido aos montes pela comodidade, pois, no Brasil, os médicos recebem por parto realizado, o que leva muitos médicos a agirem pela ganância.

Outros tipos de parto

Nos planos de saúde, a cobertura com obstetrícia só inclui o parto normal e o tipo cesárea, mas a mulher tem outras opções como:

Parto Natural

No parto natural, o bebê também nasce por via vaginal, mas ele é caracterizado pela ausência de intervenções médicas e medicamentos.

O processo ocorre com métodos naturais para o alívio da dor, como massagens relaxantes, água quente, posições estratégicas, entre outros.

Além disso, uma das vantagens é que a mulher pode escolher o local do parto: em casa, hospital, onde ela se sentir mais confortável.

As vantagens e desvantagens desse parto são semelhantes ao método normal, mas caso ocorra tudo bem, o organismo não precisará se recuperar de anestesias ou medicamentos fortes.

Parto Humanizado

O parto humanizado é um método que o protagonismo da mulher é respeitado, ou seja, a equipe médica fica atenta a qualquer necessidade de intervir no parto, mas atende aos desejos da gestante e faz de tudo para mantê-la confortável.

As intervenções só podem acontecer nesse tipo de parto com a autorização da mãe e caso haja risco para a saúde materna ou fetal.

O maior desafio dessa modalidade é que é difícil encontrar uma equipe médica disposta a fazer o procedimento sem intervir por qualquer motivo.

Ainda tem alguma dúvida sobre os tipos de parto nos planos de saúde? Deixe um comentário!